quinta-feira, 23 de julho de 2015

QUATRO TIPOS DE GAFANHOTOS.




 O que a locusta cortadora deixou a voadora o comeu; e o que a voadora deixou a devoradora o comeu; e o que a devoradora deixou a destruidora o comeu. (Joel 1:4)
Em algumas versões, diz ao invés de locusta aparece gafanhoto, em outras versões aparecem a lagarta, o pulgão, etc. Mas não importa muito essa diferença, pois o que o profeta Joel quer dizer é que há quatro entidades que agem tanto na vida quanto nos bens, ou nas coisas que as pessoas e que por alguns motivos tem consequências catastróficas quando permitida a sua ação...
Se pensarmos que cada uma dessas entidades seria uma espécie de demônio, o ser humano é um agricultor, ficaria mais ou menos assim:
O agricultor trabalha e produz o mantimento e o campo está pronto para a colheita.
Vem o cortador e come as flores, os frutos e sai;
Depois vem o voador (migrador), come as folhas e sai;
Em seguida vem o devorador e come a seiva e o caule e sai;
Quando vem o destruidor, não encontra nada na plantação para comer e o que ele faz? Ele ataca justamente o que sobrou, a vida do agricultor.
Os frutos e as flores significam metade dos bens do agricultor, assim sendo, lembra quando você se programa guardando uma reserva para uma emergência ou as férias esperadas, mas de repente, surge um imprevisto e é preciso gastar com farmácia, contas... (isso para cristão), para um não cristão, que não faz conta, nem percebe o quanto gasta com bebidas, cigarro, dividas e um monte de outras coisas que vai consumindo o que se tem produzido e no final das contas não consegue saber onde foi parar. É o demônio cortador, que vive na plantação, está sempre na vida da pessoa, está sempre comendo uma parte considerável do que é produzido...
As folhas significam a metade que sobrou. Algumas pessoas às vezes se perguntam como pode acontecer de trabalharem tanto durante o mês, fazer as contas e pelos seus cálculos, sobrar ainda algo para desfrutar com a família, mas quando chega o fim de mês, não sobra nada, nem sequer uma migalha, muitas vezes nem dá para pagar as contas regulares como água, luz etc. pergunto, onde foi parar o que produziu o agricultor? O demônio migrador comeu. Este tipo não está na vida da pessoa, mas não fica muito longe, e quando vê que há algo que pode servir-lhe de comida, vem quase que instantaneamente, pois mora muito perto e come a metade que o cortador não comeu.
O caule e a seiva significam aquilo que a pessoa produziria, ou seja, a semente que seria o fruto para o futuro, uma provisão. Aí vem o devorador e come a provisão, a semente para o futuro, e aí, meu amigo, se não há nem aquilo que seria produzido, nessas como pode uma pessoa viver?
Depois que esses três demônios atacaram a pessoa, já não há mais nenhum produto a ser devorado, e quando chega o quarto, o mais devastador destes, não encontra nada para comer, ele ataca a vida da pessoa. Imaginem uma pessoa que já não tem mais nada para perder, seus bens se foram, a saúde, já se foi a família o desamparou...  Acreditando não ter mais solução, pensa que só pode haver uma coisa a fazer, tirar a própria vida. Isso explica o imenso numero de pessoas que ultimamente tem cometido suicídio...
Mas o mesmo Deus que iluminou o profeta Joel a escrever essas palavras, o conduziu a escrever como contornar a situação e como repreender essas legiões de demônios...
 Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto.
 E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal.
Quem sabe se não se voltará e se arrependerá, e deixará após si uma bênção, em oferta de alimentos e libação para o SENHOR vosso Deus?
(Joel 2:12-14)
Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?
Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.
  Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.
E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.
E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.
As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o SENHOR; mas vós dizeis: Que temos falado contra ti?
  Vós tendes dito: Inútil é servir a Deus; que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do SENHOR dos Exércitos?
  Ora, pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que cometem impiedade são edificados; sim, eles tentam a Deus, e escapam.
Então aqueles que temeram ao SENHOR falaram frequentemente um ao outro; e o SENHOR atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o SENHOR, e para os que se lembraram do seu nome.
E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.
 Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. (Malaquias 3:7-18)
Assim sendo, existem algumas coisas que são essenciais para que essas legiões sejam afastadas da vida do ser humano. A primeira coisa é reconhecer que há um erro muito grande se arrepender desse mal. A segunda coisa é se converter do caminho mal, ou seja, deixar de cometer coisas erradas e começar a andar corretamente. Outra coisa a se atentar é que essas legiões sempre estarão por perto prontas a atacar, mas cabe ao agricultor se precaver. Como? Se este andar conforme o que Deus deixou escrito em sua palavra. O agricultor deve proteger sua lavoura, mesmo que um fruto ou outro se perca, mas sua safra estará guardada pelo Senhor. Ele tem o poder de repreender, afastar todo e qualquer mal que possa vir de encontro aos seus filhos, é poderoso para abençoar sem medida e mostrar a todos que ELE é Deus!







Nenhum comentário:

Postar um comentário